O Poder Mágico das Perguntas

hierarquia nas empresas
5 minutos para ler

Qual a diferença entre perguntas abertas e fechadas? E por que elas fazem tanta diferença quando estamos buscando respostas profundas durante nossa jornada de desenvolvimento? 


Essas duas questões irão guiar esse artigo que tem como objetivo ajudar líderes a aumentar a sua capacidade de contribuir com a jornada de desenvolvimento de seus liderados.


Tenho certeza que cada um de vocês, que está lendo esse texto agora, já experimentou os resultados na sua própria vida desses dois tipos de perguntas. A pergunta aberta é aquela que aumenta o fluxo de endorfina no seu corpo, que leva você a novas ideias, traçar planos, que aumenta seu nível de curiosidade e faz com que você atinja um novo nível de pensamento. Apesar de ser uma habilidade que algumas pessoas já possuem, é possível, também, desenvolvê-la. Procure lembrar-se da última conversa que você teve com alguém capaz de despertar em você esse fluxo. O que essa conversa despertou em você? Que perguntas foram feitas? Usualmente, as perguntas abertas “esticam nossa mente” e tocam naquilo que realmente tem significado para nós.


Já as perguntas fechadas são perguntas que nos levam ao passado, nos levam a explicar porque não conseguimos fazer algo, justificar nosso comportamento, racionalizar nossas opções, pensamentos e resultados. Normalmente, quando alguém nos faz perguntas fechadas a pessoa tem uma agenda própria, está querendo nos ensinar algo, nos direcionar.

Lembre de uma conversa que foi conduzida com perguntas fechadas. Como você se sentiu? Que resultados obteve dessa conversa? 
É muito importante aprendermos como abrir qualquer pergunta que formulamos, assim seremos capazes de estimular em nossos interlocutores um fluxo enorme de ideias.

O grande poder mágico das perguntas abertas é que elas são capazes de gerar conscientização, movendo o indivíduo à exploração e busca de soluções criativas. 


Enquanto as perguntas fechadas resultam em respostas sim/não, isto ou aquilo finalizando a conversa, as perguntas abertas encorajam as pessoas a reflexão profunda, convidando-as a relaxar e olhar profundamente para elas mesmas e acessando suas próprias perspectivas. Elas provocam um estado mental de descoberta, insight, comprometimento e ação, ao invés de voltar-se para o que não funciona ou não funcionou no passado.

O principal poder das perguntas abertas é que elas levam as pessoas a descobrirem suas próprias respostas e tornarem-se 100% responsáveis por suas escolhas e ações.

Quando seus liderados os procuram para aconselhamento e vocês utilizam perguntas abertas, estarão auxiliando-os no empoderamento pela sua jornada de desenvolvimento, promovendo conscietização, insights e novas ideias, o que contibui para diálogos produtivos de desenvolvimento, ajudando os profissionais potenciais a responsabilizarem-se pela direção de suas carreiras e sua evolução.


Transformando perguntas abertas em perguntas sistêmicas:
Quanto melhor a qualidade das suas perguntas, maior o potencial de gerar reflexão e mudanças efetivas. Veja o exemplo abaixo:

Negativa: Por que você não tem tempo suficiente? (leva a justificar, explicar o problema)
Fechada: Há alguma maneira de criar mais tempo? (sim/não)
Aberta: Como posso criar mais tempo para mim?
Mais aberta aindaQuais são as maneiras que eu poderia criar mais tempo para mim? (plural)
Focada: Quais poderiam ser as melhores formas de criar mais tempo para mim?
Perguntas Sistêmicas: Como posso maximizar o uso do tempo, todos os dias de minha vida?

Algumas ideias para potencializar suas perguntas:
1)  Usar a palavra PODERIA em suas questões: Como você pode aprender mais? Como você PODERIA aprender ainda mais? Como você PODERIA encontrar ainda mais valor nessa atividade? Quem PODERIA te apoiar nessa atividade?
2) Fazer perguntas no PLURAL: Quais são as possíveis maneiras de aprender mais? Quais são os resultados que você quer obter dessa experiência? Quais são as outras formas de aprender sobre isso no futuro?
3) Adicionar palavras como: a melhor, a mais importante: Quais são algumas das melhores coisas que você pode aprender dessa experiência? Quais são as coisas mais importantes para considerar ao escolher esse caminho de carreira?
4) Explore os verbos que criam movimento: desenvolver, inspirar, crescer, aprender, criar. Quais são as melhores maneiras de desenvolver essas competências? Como você poderia começar a aprender ainda mais sobre esse método de perguntas?
5) Explorar o sistema de pensamento.  Exemplos de um sistema mais amplo: Sua vida inteira, seu corpo, sua família, seus vizinhos, sua cidade, seu país, uma escala numérica (1-10). A ideia aqui é criar um expectro de mínimo e máximo resultado utilizando um sistema. Qual seria o melhor resultado se você pudesse fazer uma escala de alternativas de 1 a 10, sendo 10 a melhor? Vamos supor que você poderia ler o livro de sua vida e que você pudesse explorar cada capítulo desse livro. Como você poderia usar esse livro para melhor entender o propósito de sua vida como um todo? Como poderia viver melhor esse propósito todos os dias?

Vamos praticar?

Que tal registrar aqui as perguntas que você fizer na próxima conversa com um de seus liderados? 
Agora volte ao exercício: Transformando as perguntas abertas em ainda mais abertas e reescreva novas versões de suas perguntas. 


Texto inspirado no capítulo 4: “Turning on the Tap: The Magic of Open-Ended Questions.”do Livro Step-by-Step Coaching – Marityn Atkinson, PhD e Rae T Chois. 

Você também pode gostar

39 comentários em “O Poder Mágico das Perguntas

  1. I have been absent for a while, but now I remember why I used to love this website. Thanks , I will try and check back more frequently. How frequently you update your website? Rosabel Noam Marola

  2. A formidable share, I just given this onto a colleague who was doing a little analysis on this. And he actually purchased me breakfast because I found it for him.. smile. So let me reword that: Thnx for the deal with! But yeah Thnkx for spending the time to debate this, I really feel strongly about it and love reading extra on this topic. If potential, as you develop into expertise, would you mind updating your weblog with more details? It is highly helpful for me. Massive thumb up for this weblog put up! Siana Eugenius Kingsly

  3. I wish to get across my gratitude for your generosity giving support to those individuals that require assistance with this one area of interest. Your special dedication to passing the message all through turned out to be particularly helpful and have all the time empowered others just like me to reach their goals. Your entire helpful help and advice means so much a person like me and further more to my office workers. Thanks a ton; from all of us. Sheila-Kathryn Eadmund Merchant

  4. Wow, wonderful weblog structure! How long have you been blogging for? you make running a blog look easy. The whole look of your website is wonderful, let alone the content! Chicky Wright Sellers

  5. The road seemed to stretch on endlessly before us, but Alexis assured me that our journey was near an end. We’d turn before long into thick woods and travel through narrow, winding roads until we reached her family’s cabin. I had no choice but to trust her as GPS had given out nearly 20 minutes ago.

    “There’s good wifi and okay reception at the cabin,” she’d told me, “but you can’t get there unless you know the way.”

    So here I was, driving alone in the middle of god knows where with a girl who was my student just a couple of weeks ago. Her and her four best friends had been together from first grade all the way through high school and now they had graduated with very different futures ahead of them. They had decided to kick off “the best summer ever” with a week long stay at Alexis’s family cabin. Alexis and I were heading up before everyone else, the four other girls and four guys.

  6. The road seemed to stretch on endlessly before us, but Alexis assured me that our journey was near an end. We’d turn before long into thick woods and travel through narrow, winding roads until we reached her family’s cabin. I had no choice but to trust her as GPS had given out nearly 20 minutes ago.

    “There’s good wifi and okay reception at the cabin,” she’d told me, “but you can’t get there unless you know the way.”
    https://medium.com/@forkdoyta/kicking-and-screaming-ch-07-52a22cf585d
    So here I was, driving alone in the middle of god knows where with a girl who was my student just a couple of weeks ago. Her and her four best friends had been together from first grade all the way through high school and now they had graduated with very different futures ahead of them. They had decided to kick off “the best summer ever” with a week long stay at Alexis’s family cabin. Alexis and I were heading up before everyone else, the four other girls and four guys.

  7. The road seemed to stretch on endlessly before us, but Alexis assured me that our journey was near an end. We’d turn before long into thick woods and travel through narrow, winding roads until we reached her family’s cabin. I had no choice but to trust her as GPS had given out nearly 20 minutes ago.

    “There’s good wifi and okay reception at the cabin,” she’d told me, “but you can’t get there unless you know the way.”
    https://notepin.co/shared/fmgiped
    So here I was, driving alone in the middle of god knows where with a girl who was my student just a couple of weeks ago. Her and her four best friends had been together from first grade all the way through high school and now they had graduated with very different futures ahead of them. They had decided to kick off “the best summer ever” with a week long stay at Alexis’s family cabin. Alexis and I were heading up before everyone else, the four other girls and four guys.

  8. The road seemed to stretch on endlessly before us, but Alexis assured me that our journey was near an end. We’d turn before long into thick woods and travel through narrow, winding roads until we reached her family’s cabin. I had no choice but to trust her as GPS had given out nearly 20 minutes ago.

    “There’s good wifi and okay reception at the cabin,” she’d told me, “but you can’t get there unless you know the way.”
    https://telegra.ph/Diversity-for-Executive-Training-02-21
    So here I was, driving alone in the middle of god knows where with a girl who was my student just a couple of weeks ago. Her and her four best friends had been together from first grade all the way through high school and now they had graduated with very different futures ahead of them. They had decided to kick off “the best summer ever” with a week long stay at Alexis’s family cabin. Alexis and I were heading up before everyone else, the four other girls and four guys.

Deixe um comentário